EDUCAÇÃO SOCIOEMOCIONAL

Aprender a conhecer

Aprender a conhecer

Aprender a Fazer

Aprender a Fazer

APRENDER A CONVIVER

APRENDER A CONVIVER

APRENDER A SER

APRENDER A SER

      Percebemos a necessidade de estimular as crianças e jovens de forma assertiva. Ensinar as habilidades socioemocionais para uma criança é uma das estratégias mais eficazes para promover este estímulo e o consequente sucesso acadêmico.

 

    Esse tipo de aprendizagem ganhou ênfase em um importante relatório realizado pela UNESCO, organizado pelo filósofo francês Jacques Delors. A principal mensagem é que essa prática pedagógica deve se preocupar em evoluir quatro pilares ou aprendizagens: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. Aprender a conviver e a aprender a ser, inclui saber lidar com as pessoas em sua volta de forma assertiva e a ter autoconhecimento, identificando desta forma, as habilidades individuais e os pontos que ainda precisam ser aprimorados.

      A partir do autoconhecimento, o relacionamento consigo mesmo tende a ser mais leve, pois identificamos aquilo que nos motiva e o que nos causa sensações ruins e desde então, conseguimos conviver melhor com os demais.

     A Educação Socioemocional estimula o aumento da autoestima e um melhor relacionamento consigo mesmo, pois a partir do momento em que cresce a confiança em si mesmo, nos sentimos mais resilientes e preparados para enfrentar os desafios da vida, além de adquirirmos relações mais saudáveis. As escolas e as famílias devem trabalhar em parceria, se esforçando para ensinar os jovens a administrarem conflitos, a viverem em comunidade, a lidarem com a frustração e saberem conviver com as dificuldades de cada um.

      No Evolução, a Educação Socioemocional é disciplina curricular nos

ciranda.jpg